sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O Erro no Acerto

           

               Na maioria das vezes não é necessário buscar o certo para encontrar a pessoa certa, pois esta será “certa” se souber lhe agradar mesmo que seja de forma errada. Em um mundo onde nada funciona certo dificilmente quem viver nele será perfeito.
                Aquela pessoa errada que pensamos ser a certa, na verdade, é a ideal. E a troca de um termo pelo o outro nos leva a julgar que o certo é incerto por ser o ideal. Pensando bem, se o ideal é a pessoa certa, o errado é somente suas atitudes e não a pessoa, atitudes que são corrigidas para poderem ser consideradas certas.
                Essa pequena correção é o que faz da pessoa errada ser a certa, e assim, as coisas, antes erradas, certas. Como tudo já é errado, na escolha do certo e do errado, acabamos errando. Depois da escolha errada percebemos que na verdade aquela era a certa, pois as coisas passam, a partir de então, a funcionar direito.
                Se for necessário errar para podermos acertar no futuro é este motivo que nos faz ser imperfeitos e o desejo de buscar a perfeição a cada dia. Se já fossemos perfeitos tudo estaria devidamente no seu lugar, e ao invés de lutar para que as coisas fiquem certas, de certo modo, todos fariam o inverso fazendo o certo ser incerto, e fazendo o perfeito imperfeito por não refletir, e isso não seria algo muito sensato.
                Quando paramos para pensar se algo é certo ou errado, refletimos. Ao analisarmos passamos a perceber e reconhecer gostos e comportamentos que nos agradam. Por pior que seja determinada atitude para nós, alguém a avaliou como certa para ela ser feita. Mas se essa certeza for realmente errada o que ocorreu ali foi ausência de reflexão, e isto é uma forma de imperfeição. Se não pensamos antes de agir, acabamos tendo uma probabilidade maior de errar.
                Se a pessoa certa é aquela que erra, é necessário sermos certos nesta falha para podermos a corrigir e vice-versa. Esta troca de correção, que se inicia por uma reflexão, é o que une o incerto e o aproxima do que a maioria das pessoas acredita ser o certo que pode até ser algo incerto.
                Quando nascemos não encontramos um manual onde informa o que é certo ou o que é errado neste mundo, esse pensamento vem crescendo conforme você vai se adaptando a sociedade que convive. O certo e o errado é uma escolha pessoal, tanto como a pessoa ideal para um relacionamento.
                É necessário existir um erro para assim alguém ter a oportunidade de acertar, ser imperfeito tem lá algumas vantagens. A pessoa certa, que inicialmente é aquela totalmente errada, vai completando as incertezas que existe em cada um em que ela se ajunta. Isto é perfeição! E somos imperfeitos para sermos perfeitos e fazerem as coisas seguirem um rumo sempre melhor. Aquele melhor que atinge a todos...
                A pessoa certa é simplesmente aquela que faz o que para mim é certo mesmo os outros vendo como errado. Independente do erro e do acerto a pessoa certa é aquela que faz o “coração vibrar”. E aquela que antes era errada se transforma na certa por se completar nas minhas próprias imperfeições.

Por: Wesley Carlos

2 comentários:

  1. Por isso te falo agora( nem tudo é o que parece ser)As vezes o certo é o errado ! e o que parece ser errado é certo " só se arriscando pra saber

    ResponderExcluir
  2. Somos todos imperfeitos, isso é fato, mas será que mediante a isto conseguimos perceber que não existe um "conceito geral" de perfeição, logo não seria um equívoco dizer que somos todos perfeitos. Perfeitos para um alguém perfeito para cada um de nós.

    ResponderExcluir

Gostaria de agradecer, por você ler e comentar nos artigos postado neste blog, pois escrevo com amor e fico feliz quando vejo um pedaço da Essência de vocês aqui em baixo. Quando você comenta me dá a direção a qual devo tomar, o que tenho que escrever e/ou esclarecer.
A Essência agora está em você: Comente!!
Obrigado.