quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Despedida Inusitada



Estou indo e agora vou me despedir
Não posso mais ficar
Já te fiz demais chorar
É melhor eu sair!

Estou indo e agora me verás ir
Não posso mais te atrapalhar
Já te fiz me odiar
É melhor me distanciar!

Estou indo e agora sentirá minha falta
Não posso mais te fazer refletir
Já te fiz demais insistir
É melhor eu me calar!

Estou indo e agora devo demorar voltar
Não irei mais te prender em mim
Já te fiz demais sofrer
É melhor eu te largar!

Estou indo e agora peço perdão
Não me olhe com desprezo
Já estou me retirando
É melhor que eu vá agora!

Estou indo e hoje sei que fui
Restarão em ti algumas lembranças
Daquele sentimento que lhe machucou
Para reconhecer que não deveria estar em ti!

Adeus, agora será tardar o meu voltar
Mas não a olhe com tanta ternura
O inverso, me obrigará a me reinstalar!

Estou indo mesmo não devendo sair
Mas existe em mim o imperfeito
Que necessita de perfeição!

Eu fui, e quando vou sem ódio, sem culpa
Somente por obrigação eu volto, mais forte
Mais ágil, mais intenso: eu sou o amor!

E superior a mim
Está aquela que me gerou
Mas que não sabe
Por isso, vou...

Por: Wesley Carlos

Um comentário:

  1. Olá, Wesley. Tudo bem? Lindos versos como sempre em seus poemas e histórias, mas este enfim consegue ser muito claro e objetivo. Tão meigo a forma em que você usou o amor e o sentido de sua ausência, e no ultimo verso deixou aquela pergunta chave, a qual nos mesmos “leitores” encontramos a resposta ao refletir.
    Meu amigo que você continue sempre assim, tão simples e objetivo com as palavras. Continue transmitindo tanta coisa boa com suas palavras e personagens. Beijos, Amanda Salles.

    ResponderExcluir

Gostaria de agradecer, por você ler e comentar nos artigos postado neste blog, pois escrevo com amor e fico feliz quando vejo um pedaço da Essência de vocês aqui em baixo. Quando você comenta me dá a direção a qual devo tomar, o que tenho que escrever e/ou esclarecer.
A Essência agora está em você: Comente!!
Obrigado.