quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pequenos embrulhos


A vida, muita vezes, nos oferta alguns presentes que não sabemos como cuidar... Às vezes são presentes que dão trabalho, cansaço, talvez estresse e até mesmo fadiga. Presentes que não aparentam ser donativos porque pré o julgamos pela embalagem que possui. Como falhamos, não é? Através disso, acabamos por não o cuidar da forma que deveríamos ou de simplesmente não abri-lo de modo a desvendar tudo que ele é, trás ou representa.
Nosso maior medo, mesmo que talvez oculto, é de não conseguirmos ser ou ter aquilo que tanto almejamos: queremos bens tangíveis, de longo prazo e que exigem muito de nós. Entretanto, porque não sonhar com o intangível? Porque não sonhar com aquilo que somente se poderia sentir?
Pessoas são presentes; aliás, os melhores presentes. Podem nos ensinar o certo ou nos induzir ao errado; podem trazer felicidade ou plantar uma floresta de tristeza; podem abrir caminhos, mudar o rumo, construir novas trajetórias ou simplesmente fincar uma estaca, abrir uma tenda e permanecer contigo... Enfim, as pessoas sempre hão de ser os melhores presentes. No entanto, perdemos a maioria deles o pré julgando: deixamos de abrir o embrulho, deixamos de viver o sonho.
Pessoas sorriem, choram, lutam, crescem, decaem, elas nunca desistem. Pessoas são motivadoras, motivantes, alimentam, criam, se apaixonam e são apaixonantes. São elas que trazem os sentimentos, que abraçam a alma com o silêncio de um olhar carinhoso e falam muito sem nada dizer. São pequenos embrulhos que embalam as mais lindas e puras almas.
            Sim, pessoas são presentes.
Se sonhos são presentes e estes, por sua vez, são pessoas; pergunto-te: você está sendo o presente na vida de quem? Aliás, falando em presentes, você já abriu os seus embrulhos? Cuide bem dos que recebera; eles não são eternos (...).
Jamais leve contigo a culpa de não ter sido o que deveria ser: seja agora! 
           Seja hoje um presente.


sexta-feira, 22 de julho de 2016

Segredos


Deixa eu falar ao seu ouvido todos os planos que tenho para nós, todos os sonhos que não revelei, os grandes e pequenos alvos que tracei.

Deixa eu cantar ao seu ouvido todas as notas do nosso amor, todos os versos a compor nossa melodia, as profundas e extensas estrofes que me inspirou.

Deixa eu revelar ao seu ouvido todos os segredos que ainda não te contei, todo o sentimento que há em mim, os suaves e intensos desejos que ocultei.

Deixa eu ouvir de você que irá guardar meus segredos, que trancafiará meus sentimentos em seu peito, que viveremos tudo que planejei,

em segredo (...)

domingo, 27 de março de 2016

Profanos


Mundo desigual com tanta gente igual.
Mundo irracional com tanta gente racional.
Mundo desumano e repleto de humanos.
...
Mundo. Mundano.