quinta-feira, 24 de março de 2016

Ocasional


Acabei sonhando o que não sonhara
e vivendo o que não se pode viver;
pois a vida vive na rotina
e sair da rotina ajuda a viver.
...
Acabei sentindo o que não sentira
e sorrindo a alegria que não pode sentir;
pois a morte vive a espera
e por isso preciso seguir.
...
Assim, acabei vivendo como nunca pensara
e sentindo o que nunca me permiti.
E alcancei a morte em vida
com a certeza que um dia vivi.

2 comentários:

  1. Essa rotina que nos traga... A vontade de fazer tudo e tanto, sem ter tempo pra nada. Gostaríamos de dançar com o tempo, no entanto brigamos com ele antes do início da primeira música. Falta tempo! Tão logo o tempo chega ao fim, é o nosso fim. Então, antes que o tempo acabe, precisamos quebrar a rotina, romper os hábitos, ir além do planejado... Antes que o tempo acabe: Precisamos viver!
    Que bom que você voltou! rs'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Larissa. Boa tarde! Agradeço pelo carinho da visita e por sempre deixar estes seus comentários sempre tão marcantes e reflexivos. O tempo sempre trás suas ocasionalidades que geralmente conhecemos por oportunidades; mas, estranhamente, por medo do novo, sempre nos limitamos e nos privamos de vive-las. Já imaginou quantos sentimentos, ocasiões e ensejos foram perdidos? O tempo passa e não há como recuperar!


      Um forte abraço,

      Wesley Carlos

      Excluir

Gostaria de agradecer, por você ler e comentar nos artigos postado neste blog, pois escrevo com amor e fico feliz quando vejo um pedaço da Essência de vocês aqui em baixo. Quando você comenta me dá a direção a qual devo tomar, o que tenho que escrever e/ou esclarecer.
A Essência agora está em você: Comente!!
Obrigado.