sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Coadjuvante Inquietação


Uma dorzinha contorcia em meu peito e começava a caminhar pela artéria esquerda. Já era noite e além da ausência das estrelas um sereno fino e silencioso, que sobrara da chuva que cessara, vinha ao chão. Quieto e um pouco sonolento debrucei na janela do quarto e fitei o deslocar da chuva pelo asfalto até seu desaparecer para o interior do bueiro.
                A luz do poste, próximo a minha residência e a única da rua que ainda acendia, ficava se alternando entre o iluminar ou não o espaço que seu feixe de luz preenchia. Mirei o olhar nela por instantes e deixei que as lágrimas, que eram empurradas por aquela dor para fora de meus olhos, descessem por minha face até se desprender do queixo até a base da janela.
                Não havia estrelas e a noite estava escura, fria e vazia. O deslocar daquela mágoa por todo meu corpo o fazia manter a mesma aparência obscura e assustadora que aquela rua ganhara naquela noite.
                O conflito existencial de sentimentos em mim parecia querer me despertar e me envolver cada vez mais naquela discussão diária que há tempos preferi não ficar envolvido. As dúvidas, contradições e incertezas de meu interior revelavam a mim mesmo minha fragilidade no instante em que estava sendo forte o bastante para suportar a nova ausência que surgira.
                Sentia medo: medo de perder o que ainda não havia ganhado, medo da coragem que aos poucos surgia, receio do porvir que não sabia se viria. E a guerra cada vez mais deixava recair sobre mim suas dores, magoas e destruições. Como se eu fosse seu impulsor, como se eu fosse o único alvo para consumir, como um soldado desarmado e impotente perante um exercito forte que jamais perdera uma batalha.
                Não era comum ouvir o cantarolar de alguma coruja solitária por ali, mas o som incomodante do pequeno pássaro deixava à rua uma aparência mais sombria e perturbadora.  Desencostei da janela e suspirei... Como eu precisava de um único abraço, de algumas palavras animadoras, como estava sendo difícil suportar tudo aquilo, como aquela ausência doía ao ser percebida.
                Buscava alguém que me entendesse e, com isso, me revelasse, buscava alguém que me ajudasse, buscava alguém que me fizesse mostrar o quanto o sorrir e o viver seria necessário. Mas quanto mais eu percorria para esta busca, mais e mais a vida me mostrava que a guerra estava em mim. Mais a vida tentava me dizer que o erro ocorria na verdade dentro de mim, mais a vida apontava para minhas imperfeições e me fazia chorar.
                Seria eu merecedor de tudo que me compõe? Seria eu merecedor de tantas vezes que sorri? Seria eu o motivo de tantos se afastarem? Seria eu o motivo da guerra ainda existir em mim? Seria realmente eu?
Não me entendia: não conseguia compreender porque sentir o que na verdade não era sentido, por que olhar para o que não existia, porque viver do que de nada favorece a vida, porque sonhar o sonho que jamais fora construído, porque ainda pensar que voltaria o que a morte já dissipou?
                - Ah... (Suspiro!)
                Levantei, passei a mão direita vagarosamente sobre a base da janela e espalhei as lágrimas sobre ela. A felicidade havia partido, ou na verdade nunca com ela havia eu encontrado. A existência daquela dor e o seu caminhar por minhas veias sanguíneas me movimentavam conforme sua dança espinhosa em meu coração. O inquietamento promovente pelo pulsar do coração mais desta dor me consumia.
                Era notório sentir o que não sabia que sentia.
                Era estupidez insistir em continuar num trajeto que em nada me levaria.
                Passei a mão, desta vez a esquerda, por minha face e sentei ao chão por abaixo da janela. Posicionei a cabeça sobre os joelhos e fechei meus olhos. Os sentimentos estavam entrando em um conflito instantâneo e brincando comigo mais uma vez. Após o trajeto anual, a dor novamente parava e se calava de forma que se escondia de mim. Passava por todo meu corpo para interferir em todos os outros sentimentos e banalizá-los.
                Ouvia o som forte da chuva que havia chegado sobre o asfalto. A luz que entrara pela janela provinda do poste já não era vista. Estaria eu em profunda escuridão ou seria o momento exato para nova luz procurar acender? Mas a escuridão me envolvia, me escondia, aos poucos me deixava mais apto a me olhar, a me sentir.
                Uma mão leve toca em minha face, acaricia meu lábio inferior e ouço entre um balbuciar:
                - Vai ficar tudo bem...

                Levantei assustado, porque a voz era a minha! Acendia a luz do quarto, porque a voz era a minha! Sequei as tantas lágrimas, porque a voz era a minha... Eu me permitia! Eu me confortaria! Eu conseguia insistir mais uma vez em mim, e sorri.


Por: Wesley Carlos

55 comentários:

  1. Quantas vezes precisamos de um abraço, de alguém que nos fale algo capaz de mudar tudo, de alguém que nos olhe e só com esse olhar nos entenda, mas muitas vezes o abraço não vem, as palavras não vêm. E o olhar? Ah o olhar! Esse parece já não existir.
    Mas, ainda assim, não nos damos por vencidos, ainda há muito as ser feito, ainda há sonho.. E é nesse momento que percebemos em nós uma força interior, que se sabíamos que tínhamos não lembrávamos, que nos consola, supri as nossas necessidades, e nos faz acreditar, acreditar no mundo, acreditar nas pessoas, acreditar na vida, acreditar, principalmente, em nós, na nossa capacidade de vencer, de prosseguir, de chorar, mas depois sorrir, de sonhar, de transformar sonhos realidade, e ser feliz, e fazer feliz, e ser feliz, e fazer feliz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa, estou sem palavras! Na verdade, sempre fico sem palavras com seus comentários. Eles sempre resumem o texto referente em uma sensibilidade incrível que só você possuí neste contexto encantador. Parabéns e muito obrigado por sempre abrilhantar meu espaço com suas palavras tão ricas. Até mais'

      Excluir
  2. oi. tem dias que nossas inquietações nos dilaceram. Ficamos sem saber vencê-las. Nos tornamos coadjuvantes delas. É NESSE MOMENTO QUE DEVEMOS TOMAR CERTAS DECISÕES E FAZER ALGO DIFERENTE. SER PROTAGONISTA DO NOSSO DESTINO. lUTAR E RESOLVER TUDO O Q NOS DEIXA INQUIETOS.
    ----
    ESTAVA COM SAUDADES DE VC! AINDA BEM QUE VC VOLTOU A POSTAR! abraços!ps: vou indicar este texto pra um amigo meu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cícero, tudo bem?
      É estive um pouco ausente. Como eu já disse, tem semanas que demoro passar por aqui devido a trabalhos e dedicação ao estudo. Mas que bom que ainda se faz presente no "Essência da Palavra". Em breve lhe visitarei, abraços.

      Excluir
  3. voce sempre com postagens gostosas de serem lidas, absorvidas, refletidas...um grande abraço, amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Charles, tudo bem?
      Agradeço o comentário e pela participação no blog. Fico feliz que tenha gostado do texto, e mais ainda por ter lhe causado uma reflexão. Acho que a satisfação interior que é ganho quando sabemos disso é o grande isentivo a continuar, a sonhar e fazer a literatura a chave de mudança da humanidade. Abraços!

      Excluir
  4. Olá Wesley,

    Seja bem vindo!
    Quer aprender a escrever como eu, porquê? Eu "sofro" tanto, quando escrevo.
    O menino escreve, lindamente.
    Seu texto, aliás, a exemplo dos anteriores, está morfologica e sintacticamente, quase perfeito. Perfeito só Deus, né?
    O conteúdo semântico é de uma riqueza, que, não é própria para a sua idade. Eu sou Professora, de Língua Portuguesa, já de garotos(as) crescidinhos, e, raramente, se encontra alguém, escrevendo, aquilo que nós professores chamamos:escrita com estrutura.

    Seu texto é rico de imagens e de vocabulário.
    Afinal, tanto tormento, para quê, meu querido?
    Era a sua voz e você acordou sorrindo.
    Claro, que as etapas, que descreve em sua postagem são reais e algumas pessoas passam por esses momentos.

    Bom fim de semana e bom Carnaval.
    Já não está suado? Eu sopro seu rostinho, tá?

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luz, que saudade estava de ler seus comentários. Agradeço primeiramente a participação e, mesmo apesar do breve tempo que me mantive ausente, você se fez presente no "Essência da Palavra", fico muito contente com isto. Eu leio seus textos e poemas com muita calma e seriedade, porque o seu texto em si solicita de mim esta forma de leitura... Acho que neste mesmo ritmo ele deve ser transportado do seu interior para o exterior que nos permite ter acesso a eles. São adoráveis! Fico bobo quando leio, são lindos. Parabéns! Seus elogios sempre me deixam alegre, afinal, eu amo escrever e sonho com isto. Com uma crítica de uma pessoa a nível de Luz que só você possuí fico até mais honrado, mais uma vez obrigado! Agradeço também pelas observações feitas e, ainda, pelo destaque de algumas qualidades dada ao texto. Quanto ao suor, ele já secara. Na verdade, a quentura de seus poemas cria em mim a transpiração que tento demonstrar em um comentário.
      Um Forte Abraço.

      Excluir
  5. Hoje foi um dia úmido e chuvoso, não só do lado de fora de minha janela, mas também no meu âmago... e seu texto me vestiu perfeitamente, um espelho disfarçado de palavras. Quanta intensidade! E, posso dizer, que eu também sorri no final do texto!


    ***
    olivroazuldemondragon.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando umedecemos o nosso interior, a nossa alma, o nosso ponto essencial, o nosso centro, o nosso meio, o nosso foco, o nosso coração e, com isso, os nossos sentimentos estamos aptos a novamente sorrir. Faz bem se umedecer e as vezes fazer chover, acredite! Como uma terra seca que necessita de água para voltar a florir, assim também é o coração de um homem que seco por tristezas deseja novamente o cheiro do perfume suave da felicidade. Que bom que sorriu junto ao texto, que bom que se aprofundou! Agradeço a visita, abraços.

      Excluir
  6. Post inquietante, com remendos profundos. Sentimentos escondidos pelas palavras, agarrados de tal maneira que não consigo descrever. Apenas posso refletir, mesmo inconscientemente. Por vezes precisamos ser surpreendidos, abrir um presente tão bem embrulhado da vida... E que dia será esse que não o de hoje? :)
    Um abraço e fiquei muito feliz com a sua visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Paulo. Que bom que se deleitou na leitura, que bom que algo abstraiu para poder refletir. Quando não conseguimos descrever algo, isto indica o quanto este algo penetrou em nós, me sinto assim quando leio suas citações tão profundas. Fico contente com isto! Este texto possuí muito de mim e da forma que me sentia esta semana. Quem nunca se sentiu assim? Agradeço a visita e mais ainda por estar participativo no blog. Um abraço, e fico mais feliz ainda que tenha gostado de minha visita... Até Breve!

      Excluir
  7. Sabe o que é mais legal em seus textos? São as lembranças que eles me trazem. Saber que a maioria das coisas que estão escritas por aqui, você compartilhou comigo antes, fico lendo e sorrindo sozinha, lembrando das suas mensagens enviadas pelo celular de conflito próprio e dos conselhos que eu lhe dava, "Lembro-me de cada palavra nossa, houve momentos que a minha vontade era abrir sua cabeça e te fazer entender que não havia nada de errado com vc, mas não adiantava... E agora? Todos os seus anseios o que viraram?Lindos poemas, que trazem os mais puros e sinceros sentimentos. Tudo que leio por aqui, trás edificação para minha vida, coisas que outrora não passava de raiva, de amor ou de sofrimento. O Essência da Palavra é sim o seu coração, é você. É até meio que nós, pois aonde você esta, eu também estou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, minha querida amiga... Como fico feliz quando você passa por aqui. Você tem toda razão, todos os escritos que aqui exponho são inteiramente meu sentimento. Eu escrevo na verdade, depois que tudo já passou, depois que você já me auxiliou e as histórias que coloco por trás de cada personagem, por trás de cada cenário fez parte na verdade de algum sentimento meu. Que bom que reconhece, que bom que isto lhe faz, de alguma forma, bem. Fico contente com tudo isto... É por estes e tantos outros motivos que o Essência da Palavra é dedicado a você. Obrigado por tudo, abraços.

      Excluir
  8. Muito bom! Texto muito bem desenvolvido, gostei muito do que li.
    Espero que você não se ausente mais! rsrs


    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anderson, fico feliz que tenha gostado do texto! Fique tranquilo, farei o possível para não me ausentar! Obrigado pelo carinho. Abraços.

      Excluir
  9. Olá Wesley,

    Como vai? Sambando, né?
    Menino inquieto! Sabe, a vida, e você é bem jovem, tem imensos degraus.
    Umas vezes subimos eles, outras descemos. Se fosse tudo plano, linear, não tinha graça, não punha nosso cérebro a funcionar.
    O coração precisa de bater, de se descontrolar, prudentemente, mas depois repousar, aliviado.
    Descartes passsou sua vida com dúvidas e anseios, mas deixou palavras, para nós reflectirmos, como você.
    Se mesmo, quando já for mais velho, continuar com dúvidas, interrogações e estados de alma complexos, não fique perturbado.
    O ser humano, quando bastante inteligente, é mesmo asssim.
    Tem dois caminhos, que se unem, sempre: DEUS E O AMOR.

    Bom Carnaval.
    Abraço de luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luz, tudo bem?
      Eu vou ótimo e você? Sambando? Eu? Do carnaval eu só gosto do feriado... (risos!) Agradeço, contudo, as palavras de carinho e apoio. Mas só um momento, é impressão minha ou me comparou ao grande Descartes? Que honra, meu Deus! Mas não chego a tanto. Eu escrevo para me convencer que estou bem, que todo aquele momento passou e, também, para que outros possam sentir junto a mim o que sentia. Sempre haverá momentos desesperadores na vida de qualquer pessoa, faz parte da essência do ser humano sofrer e,depois, abstrair algo de belo de tudo aquilo. Agradeço os elogios e mais ainda pelo carinho. Fique com Deus!

      Bom Carnaval,
      Beijos carinhosos na bochecha.

      Excluir
  10. Olá!Boa tarde!
    Muito feliz, que vc tenha visitado meu blog e ter deixado um comentário gentil e que me fez perceber uma sensibilidade aflorada.
    Seus escritos, realmente, só veio a me confirmar isto!
    É natural, que , contextualmente percebi neste,uma tormenta , uma busca por uma força interior,porém que sabe, que no silêncio da noite tudo era apenas um instante, um momento de inquietação, e que logo tudo volt o normal!
    Boa semana!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felisberto

      Fiquei contente pelo retorno. Agradeço também as observações feitas de meu texto e quanto aos elogios posso dizer que são recíprocos. As vezes o silêncio de uma noite vazia nos prova o quanto podemos tornar presente, em nós mesmo, algum sentimento que impedimos de sentir. A contextualização nos faz sentir o que antes não sabíamos que sentíamos, revelando nosso conflito interior e a possível vitória nesta batalha. Abraços'

      Excluir
  11. Cada palavra penetrou em meu coração , me deixando um sentimento estranhoo. Liindo liindo texto com grandes sentimentos... Amei Cada Palavra espessada aqui , Sinto muito pelo que aconteceu, e sinto mais ainda por não ter ajudado quando você precisava , pelo contrário quem veio me consolar foi você pelo que eu estava passando . meu amiigo querido nem sei o que dizer esse texto me comoveu e o que sobrou em mim forão apenas lagrimas ... Wesley continue assim Escreva e nunca pare , você é diferente escreve com amor e coloca sentimento em cada palavra. Muitos escrevem para se amostrar mais você é diferente . continue assim Pois você chegará lá aonde sempre sonhou e quando conquistar , terá que formar outros sonhos , pois os que você sonhou já se realizarão . Parabéns amei ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Karina

      Fico feliz quando um leitor comenta dizendo: "Cada palavra penetrou em meu coração..." Sabe, quando escrevo cada texto tenho uma preocupação imensa com que irá ler, como cada leitor irá se sentir, como cada leitura irá conduzir alguma imaginação. A intensão não era lhe arrancar lágrimas, muito pelo contrário, eu consegui cessa-las com este mesmo escrito e era esta minha intenção, mas chorar faz bem limpa a alma. Agradeço os elogios e pelas observações feita sobre os meus textos em geral. Fico muito feliz com tudo isto... Continuarei sonhando com este sonho e me guiando neste espaço grande entre o sonhar e o realizar. Agradeço sobre tudo, pela participação. Suas palavras, como as de todos os outros que aqui se fazem presentes, são de suma importância para mim!
      Até mais, minha amiga!

      Excluir
  12. Olá Wesley,

    Algumas vezes precisamos parar para ouvir o que o nosso interior quer falar para nós. Obrigado pelo comentário no meu blog.

    Um abraço, paz e bem
    GERALDO RIBEIRO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Geraldo

      Algumas vezes precisamos fugir da rotina e nos ouvir antes de buscar palavras em outrem. Enquanto não nos ouvirmos, jamais entenderemos as outras pessoas. Eu que agradeço pelo comentário! Até mais'

      Excluir
  13. Você, além de escrever um belíssimo texto, acaba de me descrever nesses últimos dias. Tão inquieta, tão pensante, tão longe de mim... Se eu tivesse lido ontem, com certeza choraria, rs. E isso em pleno carnaval UAHUAHU Só nossa voz pra nos salvar nessas horas!

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elisa

      Fico muito feliz que tenha gostado do texto e, mais ainda, por ter conseguido tocar-te de forma tão sublime. Sabe, mas isto tudo eu devo a você, é você que permite, com comentários como este, a continuar sempre. Muito obrigado! Agradeço a visitas... Beijos'

      Excluir
  14. daqueles textos que você consegue estar exatamente no seu lugar, sentindo e percebendo e sentido a inquietude silenciosa....muito bom, mesmo

    um grande abraço, novo amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Charles

      Agradeço a visita e o comentário. Volte sempre que puder e quiser... O número de comentários e seguidores do blog está crescendo e vou tentar manter o mesmo ritmo de visita a todos os blog's retribuindo palavras amigáveis e dando possíveis elogios. Agradeço mais uma vez... Abraços'

      Excluir
  15. Estou passando mais cedo para desejar um feliz final de semana.
    Meu fim de semana se Deus quiser será muito feliz e com certeza Deus quer.
    Na sexta se casa meu neto logo serei bisa que benção não é mesmo?
    Com alegria vendo minha terceira geração.
    Um lindo e abençoado final de semana.
    Fique com Deus e os carinhos meus.
    Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Evanir

      Agradeço o carinho e desejo tudo de bom para você, não só neste como nos demais finais de semana da sua vida. Até Breve'

      Excluir
  16. Wesley, estou estupefato por suas palavras!
    Muito sentimento regado de detalhes!
    Ótimo texto!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alysson

      Agradeço a visita, fico muito feliz que tenha gostado do texto.
      Volte Sempre, abraços!

      Excluir
    2. Voltarei sim! Este seu cantinho agora está sendo compartilhado!
      Tenha uma ótima semana!
      Abraços

      =)

      Excluir
  17. Olá Wesley,

    Como vai?
    Passando para dar uma espiadinha e lhe dizer, que postei.
    Terei muito gosto na sua presença.

    Bom Domingo e boa semana.
    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luz

      Estou bem e você? Estou indo lá agora =)
      Bom Domingo, abraços!

      Excluir
  18. Olá querido Wesley...mais um belo escrito de uma profundeza impar. Estou passando para te convidar para o 6º Pena de Ouro e conto com tua presença no meu Ostra da Poesia – te espero na Ilha. Um beijo enorme no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lindalva

      Fico muito feliz com o convite. Com toda certeza passarei por lá na tentativa de trazer o "Pena de Ouro" para meu cantinho. Até mais'

      Excluir
  19. Adorei a postagem amigo. Algumas vezes precisamos ouvir os sons que o silêncio faz, eles nos dias muitas coisas.

    Beijos grande!

    Depois de alguns dias ausente, ja estou de volta tentando colocar tudo em dia.
    Abraço grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Smareis

      Que bom que gostou do texto, estava esperando justamente teu retorno para publicar o novo post. Até mais'

      Excluir
  20. Olá querido Wesley,

    Passando para ver se há novos escritos.
    Ainda não.. A Faculdade lhe rouba seu tempo, mas depois, terá um vida mais facilitada e mais sábia.
    Postei, claro, novo poema. O espero. Obrigada.
    Bom fim de semana.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luz, tudo bem?

      Ainda não tenho novos escritos, estou dando mais atenção aos trabalhos que estão surgindo por aqui. Preciso retirar um tempinho para sentir algo e, assim, escrever. Passarei em seu blog.

      Abraços, e tenha um bom domingo ♥

      Excluir
  21. Oi querido Wesley,

    Vim te visitar, porque tinha saudades.
    Então, mas não encontra musa?
    Amanhã, há muitas.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  22. olá meu amigo!!! só hoje consegui um tempinho pra vir dar uma espiadinha nos teus textos tão sábio amo o jeito que você escreve,profundo! intenso nos faz viver a situação em quanto lemos, sem falar na educação!!!as vezes me invade um medo parecido com o que você relatou no texto um medo que não entendemos bem o por que, um conflito na alma que não da pra explicar,e quando estamos assim nada como saber ouvir a voz que sai lá de dentro de nosso ser!!!
    olha obrigada querido wesley, me sinto tão honrada quando você disse que recomendou meu humilde bloguinho!!! obrigado amigo ,

    ResponderExcluir
  23. Oi amigo,vim desejar boa sorte no Ostra,
    Lindo dia para você
    Um abraço

    ResponderExcluir
  24. não ausente tanto meu amigo de postagens tão contundentes e reflexivas

    ResponderExcluir
  25. Passei aqui para da rum oi, e me desculpar pela minha ausência, também ando como você... mexendo na internet para fazer trabalhos e coisas do gênero :S muito bom o texto! gostei principalmente o quarto parágrafo e o sexto... parabéns!

    ResponderExcluir
  26. Olá querido começou o Pena de Ouro e tua poesia estará em votação até o dia 12.. se movimenta e visita os amigos.. não necessariamente para pedir voto, mas para se interagir... beijos no coração e um final de semana cheio de poesia :)

    ResponderExcluir
  27. Olá Wesley,

    Foi muito bom tê-lo de volta com seus comentários, muito obrigado mesmo,se todos comentassem como você eu iria me sentir um verdadeiro escritor.

    Um abraço, paz e bem

    ResponderExcluir
  28. Bom dia Wesley,

    Venho do Ostra especialmente para conhecer teu cantinho e parbenizá-lo pela belíssima participação!!

    Beijos e boa sorte!!!

    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  29. Olá Wesley,vi seu recadinho no meu blog teste, o Viajando com a Leitura....(não posto nada por lá, só testes por enquanto). Os meus blogs são o http://ler-com-prazer.blogspot.com e http://escola-lais-netto-dos-reis.blogspot.com. Vc já passou por lá. Porém, hoje vi o recadinho por um acaso e já passei por lá...Ainda bem que deu tempo. Espero que consigas. Adorei a poesia. Parabéns! Me avisa depois do resultado..ok? Beijocas. Tenha uma semana de muita Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  30. Boa noite Wlesley!!!!Textos belissimos,que nos faz refletirmos.Seus escritos são profundos Wesley.Parabéns querido!
    Vim conhecer seu blog,você esta participando do Ostra e eu também estou.E muito bom estes eventos,porque podemos conhecer outros blogs.
    Beijos com carinho!!

    ResponderExcluir
  31. Wesley.
    Obrigada pela sua visita a muito tempo não via vc no meu blog
    fiquei feliz em poder corresponder mais uma vez contigo.
    Sua participação esta muito linda .
    Foi muito bom esse novo contato.
    Estarei por lá minha unica participação é como votante.
    Lindo Domingo.
    Beijos.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  32. GOSTEI DO SEU BLOG CHEIO DE SENTIMENTOS, APROVEITAR E LHE DESEJAR UM FELIZ DIA DO POETA, BEIJOS
    Ser poeta (Simone Butterfly)
    Ser poeta é brincar com as letras e com as palavras e arrasar os corações
    Ser poeta é expressar sentimentos em cada verso declamado
    Ser poeta é ser sensível e sonhador, sempre cantarolando o amor...
    Ser poeta é ter a Lua como madrinha e a flor como inspiração ao amor
    Ser poeta é sofrer por esse sentimento que se chama amor!!

    ResponderExcluir
  33. Oi Wesley, cheguei até aqui pelo ostra da Poesia, li teu poema lá e me encantei, como me encantei pelo pelo teu espaço.Parabéns por passar a primeira faze no evento da Lindalva que é de grande nobreza. um abraço

    ResponderExcluir
  34. Wesley, passarei la pela Ostra pra parabenizar sua poesia. Beijos grande!
    Ótima semana.

    ResponderExcluir

Gostaria de agradecer, por você ler e comentar nos artigos postado neste blog, pois escrevo com amor e fico feliz quando vejo um pedaço da Essência de vocês aqui em baixo. Quando você comenta me dá a direção a qual devo tomar, o que tenho que escrever e/ou esclarecer.
A Essência agora está em você: Comente!!
Obrigado.