segunda-feira, 11 de abril de 2011

Economia & Vida


      Vivemos em uma sociedade totalmente desigual, onde ocorre uma inversão de valores que acaba colocando a vida a serviço da economia, mas que deveria ser totalmente ao contrário. Temos hoje uma economia voltada para o benefício de uma minoria privilegiada, e é esse o maior erro. Enquanto a grande massa da população continua excluída ou rejeitada, um pequeno grupo a cada dia vai se enriquecendo injustamente.
      É impossível falar em economia sem falar em vida, afinal, é este o fator responsável por seu desenvolvimento. Quando ouço sobre economia dramaticamente a recordação que tenho é da imensa desigualdade social brasileira e consequentemente nas péssimas qualidades de vida da maioria da população, que é gerada pela má distribuição de renda no país.
      Atualmente, fatores como desemprego, habitação, educação, saúde, entre outros, estão condenados ao fracasso. Fatores que se resultam da grande desigualdade sócio-financeira e principalmente da má aplicação de verbas públicas.
      A dissonância entre baixas e altas classes sociais estão diretamente ligadas à renda. Os altos impostos acabam provocando uma divergência com o salário recebido e seu consumo mensal, desde alimentos a vestuário, ocasionando a grande diferença entre ambas as classes.
      Em alguns países desenvolvidos, pagam mais impostos quem ganha mais, já nos subdesenvolvidos o preço de impostos em produtos de consumo se mantém a todos, sendo assim, os impostos pesam mais no bolso dos que ganham menos.
      O Brasil possui uma economia alta, o atual problema é a aplicação desde dinheiro pelo território brasileiro em benefício de todos, não somente da minoria da população como geralmente ocorre. Enquanto os filhos de ricos entram em universidades, se formam e passam a ter um bom emprego; os filhos de “pobres” dificilmente chegariam por lá.
      O desemprego é um dos maiores problemas a serem enfrentados e principalmente vencidos. Acompanhado dele, temos a falta de moradia, e principalmente, a fome. Enquanto temos pessoas lançadas nas calçadas ao extremo da miséria; outras estão em mansões se alimentando do melhor.
     O Brasil não cresce nem se desenvolve por inteiro, devido à má distribuição de renda. A miséria e a pobreza só serão totalmente abolidas, quando o governo parar de retirar dos que não tem “nada”, o pouco “ do nada” que os resta.
       Este é o grande erro dos países subdesenvolvidos e o principal fator ligado ao seu declínio sócio-financeiro. Por que quando falamos em vida, falamos em seu bem estar e não somente na sua participação na economia nacional.
       Economia e vida andam extremamente distintas e tornam-se um dos problemas mais sérios, pois o aprofundamento das desigualdades sociais aumenta o abismo entre ricos e pobres. O que falta é a “ponte” da compreensão para ligar e unirem ideias que deveriam andar sempre juntas e acelerarem o desenvolvimento nacional.
       Talvez não seja tão difícil ver, analisar e julgar este sistema econômico injusto que, atualmente, está entre nós criando uma multidão de marginalizados pelo país. Mas agir de maneira eficaz contra isso, talvez seja esse o nosso maior desafio.
Por: Wesley Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostaria de agradecer, por você ler e comentar nos artigos postado neste blog, pois escrevo com amor e fico feliz quando vejo um pedaço da Essência de vocês aqui em baixo. Quando você comenta me dá a direção a qual devo tomar, o que tenho que escrever e/ou esclarecer.
A Essência agora está em você: Comente!!
Obrigado.